Director - João Marques Teixeira

www.saude-mental.net


Acesso Reservado




Números Anteriores


ver lista completa >>

Índice

Pesquisa








Índice de Autores


Índice de Temas


Índice de Secções


Psicopatologia e evolução / Psychopathology and evolution

Volume XIII Nº4 Julho/Agosto 2011


  • imprimir (pdf)



  • tamanho da fonte


  • carrinho de compras


  • imprimir revista (pdf)




Casos Clínicos / Clinical Cases

Volume XIII Nº4 Julho/Agosto 2011


Resumo/Abstract

Nos últimos anos a investigação em torno da prevalência, diagnóstico e tratamento das Perturbações de Humor (PH) em crianças e jovens, em que se destaca a Perturbação Bipolar (PB), tem sido crescente. Ainda assim, mantém-se acesa a controvérsia face às categorias de diagnóstico, respectivos critérios a considerar nesta faixa etária e as implicações no seu diagnóstico. A DSM V prevê-se que incluirá um novo diagnóstico: Temper Dysregulation Disorder with Dysphoria.
Relativamente à PB, considera-se que a taxa de comorbilidades é muito alta, o seu diagnóstico diferencial por vezes muito difícil de realizar, o que traz outras questões face à sua etiopatogenia e abordagem terapêutica. Entre as principais patologias co-mórbidas e também o principal diagnóstico diferencial, destaca-se a Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção (PHDA).
Apresentamos, a propósito deste tema, o caso clínico de um jovem de 12 anos, acompanhado em consulta de Pedopsiquiatria desde os 7 anos, com história familiar psiquiátrica sugestiva de PHDA e Perturbação de Humor e com uma panóplia de sintomas, manifestados ao longo do tempo, sugestivos inicialmente de uma PHDA e posteriormente também de uma Perturbação de Humor (PB?).
Neste jovem, a abordagem psicofarmacológica com Metilfenidato associado a um antipsicótico, que se revelou a mais eficaz, tem sido condicionada sobretudo pelo facto de surgir uma leucopénia que se suspeita serem efeitos secundários do antipsicótico.
As autoras pretendem fazer uma reflexão teórica baseada na história clínica desde jovem.

Palavras-chave: Crianças, adolescentes, Perturbação de Hiperactividade e Défice de Atenção, Perturbação de Humor, Perturbação Bipolar.



Neide Urbano

Interna de Pedopsiquiatria do Centro Hospitalar de Lisboa Central - Hospital Dona Estefânia
E-mail: neideurbano@gmail.com



Catarina Cordovil

Interna de Pedopsiquiatria do Centro Hospitalar de Lisboa Central - Hospital Dona Estefânia
E-mail: catarina.cordovil@gmail.com






Juan Sanchez

Assistente Graduado de Pedopsiquiatria

Introdução



A Perturbação Bipolar (PB) é uma doença crónica com impacto negativo importante no funcionamento das crianças e adolescentes, a nível social, familiar e académico. Está associada a elevadas taxas de morbilidade e mortalidade e, necessariamente, a uma redução da qualidade de vida[1]. Nos últimos anos assistiu-se a um aumento dramático do número de diagnósticos[1], acompanhado de uma acesa controvérsia na comunidade científica já que a apresentação clínica, sobretudo na pré-adolescência, parece ser bastante diferente do quadro de mania clássico e os critérios de diagnósticos para

18